Enquanto cresce a greve unificada de trabalhadores da prefeitura municipal de Florianópolis, o prefeito Gean Loureiro (DEM) pede na justiça a demissão e a prisão dos dirigentes do Sintrasem, o sindicato que representa a categoria.

A ação impetrada na justiça pelo futuro candidato a governador do estado é um ato antidemocrático que lembra os piores momentos da Ditadura Militar. Além dessa ação autoritária, Gean Loureiro se recusa a abrir uma mesa de negociação com a categoria.

Uma campanha de moções (veja modelo abaixo) começa a ser realizada em solidariedade à greve da categoria, exigindo a abertura de negociações, o atendimento às reivindicações da categoria e o respeito ao direito de greve e à livre organização sindical.

Greve esquenta

Assembleia unificada na sexta feira (11) decide continuidade da greve

Apesar das ameaças, processos e provocações, a greve dos trabalhadores de Floripa está crescendo. Na sexta feira uma assembleia unificada com trabalhadores da saúde, educação, assistência social, do quadro civil e da Comcap (empresa de limpeza urbana), reafirmou a continuidade do movimento e uma enorme manifestação percorreu as ruas da cidade, indo até à prefeitura exigir uma mesa de negociação, recusada pela prefeitura.

Tentativa de criminalização desmascarada

O sindicato ainda respondeu à tentativa da Prefeitura de criminalizar o movimento, através da acusação de que grevistas teriam danificado uma bomba de combustível. A farsa foi desmascarada em vídeo e acabou desmoralizando ainda mais o projeto de ditador que governa a cidade.

Toda solidariedade

Essa greve merece a solidariedade de cada sindicalista e de cada ativista que lute pelos direitos dos trabalhadores e pela democracia. Não só está em jogo o direito de organização dos trabalhadores, como a greve concentra reivindicações que dizem respeito a todos os trabalhadores do país. Servidores de Florianópolis estão lutando pela aplicação do piso da educação, contra as Organizações Sociais, contra a terceirização e privatização de empresas públicas, em defesa da recomposição salarial e carreira e pela preservação de acordos coletivos.

MODELO DE MOÇÃO: SOLIDARIEDADE E APOIO A GREVE DOS TRABALHADORES DA PMF E COMCAP

Ao Senhor Prefeito Gean Loureiro,
Ao Senhor Presidente da CMF
Ao Senhores Secretários,
A Excelentíssima Senhora Desembargadora,

Para:
[email protected]; [email protected]; [email protected]; [email protected]; [email protected];

(—- ENTIDADE/PESSOA —-) viemos expressar todo apoio a greve dos trabalhadores da Prefeitura de Florianópolis impulsionada pelo SINTRASEM, que iniciou em 09 de fevereiro de 2022, pelo cumprimento e manutenção do acordo coletivo na Comcap e PMF, em defesa do concurso público e chamamento dos aprovados no concurso público, fim das terceirizações, cumprimento da lei do piso do magistério, pagamento da lei do plano de carreira do quadro civil, fim da política de assédio moral e perseguição politica.
O governo Gean não recebeu em nenhum momento a entidade sindical durante a greve e de maneira autoritária e com prática antissindical, ameaça os grevistas, inclusive com pedido de demissão e prisão da direção do sindicato.

Exigimos que se respeite o direito de greve e livre organização sindical, com abertura imediata de mesa de negociação, para que a pauta de reivindicações possa ser discutida e uma proposta que atenda a categoria seja apresentada.

Enviar e-mails para:

PREFEITO GEAN LOUREIRO
E-mail: [email protected]
Telefone: (48) 3251-6060

Fonte: O Trabalho

Deixe uma resposta